Legislativo

Câmara de Vereadores é reforma e ampliada

Espaço recebeu serviço de pintura, mobiliário novo, biblioteca e teve a fachada restaurada.

A Câmara de Vereadores de Bequimão está de cara nova. O prédio do Legislativo Municipal foi reformado e ampliado no final da Legislatura 2017-2020. O espaço recebeu serviço de pintura, ganhou mobiliário novo, biblioteca, um novo compartimento e teve a fachada restaurada.

O prefeito diplomado do município, João Martins, participou da inauguração das novas instalações da Câmara, no último dia de 2020. O futuro chefe do Executivo Municipal será empossado na Casa do Povo de Bequimão a partir das 16h desta sexta-feira (1), em uma solenidade com número limitado de pessoas, devido à pandemia do coronavírus.

A virada do ano é marcada não apenas pelo o começo de uma nova administração no município, mas também o início de uma nova Legislatura, que será composta por vereadores eleitos, democraticamente, no pleito de novembro. O quadriênio 2021-2024 conta com dez vereadores novos e somente um reeleito: Irmão Vetinho (MDB), o mais votado do pleito, com 942 votos. Ele também foi eleito o novo presidente da Casa pelos pares. Já o vereador Jorge Filho (MDB) assumiu a vice-presidência da Câmara. 

Irmão Vetinho e os seus dez novos colegas de parlamento foram empossados nesta manhã, para ocupar as onze cadeiras do Legislativo Bequimãoense. Entre eles, estão Pedro Acará (670 votos), Janny Enfermeira (657 votos), Chico Ferreira (565 votos), Vadico Barbosa (557 votos), Jorge Filho (479 votos), Sassá (463 votos), Edilson (397 votos), Carlinhos de Severaldo (379 votos), Professor Ivaldo (334 votos) e Gordo do Quindíua (300 votos). 

A partir de hoje, os partidos com representação na Câmara Municipal de Bequimão são, portanto, o Movimento Democrático Brasileiro (4 vereadores), Partido Verde (3), Partido dos Trabalhadores (1 vereador), Partido Social Democrático (1 vereador), Partido Democrático Trabalhista (1 vereador) e Partido Liberal (1 vereador). Os três primeiros partidos integraram a Coligação “Juntos Por Bequimão”, que elegeu João Martins e Magal para os cargos de prefeito e vice-prefeito do município, respectivamente, nas Eleições 2020.

Contudo, a nova composição da Câmara Municipal não será um empecilho para o desenvolvimento do município de Bequimão. João Martins garantiu a manutenção do diálogo junto aos novos parlamentares, independente da legenda. O objetivo é um só: garantir a harmonia entre os Poderes Executivo e Legislativo e também assegurar o melhor para Bequimão, ao longo dos próximos quatro anos. 

“Estou aqui na condição de prefeito diplomado do nosso município, com a responsabilidade de 1º de janeiro estarmos na condição de prefeito municipal empossado, fortalecendo assim as relações que precisam e devem existir entre os Poderes. O equilíbrio e a harmonia são instrumentos necessários, para que o nosso município seja conduzido ao desenvolvimento com civilidade e respeito entre as pessoas. Acredito que quem tem a ganhar com isso é o município e temos que ter a devida maturidade, responsabilidade, porque este cargo não nos pertence. O cargo de prefeito não nos pertence. O cargo de vereador e de vereadora não nos pertence. Nós somos ocupantes temporários desses cargos. E, como ocupantes temporários desses cargos, devemos nos esmerar o máximo, para que durante os quatro anos que permaneçamos neles, possamos fazer acima do esperado”, defendeu João Martins. 

Participaram da inauguração do novo prédio da Câmara Municipal de Bequimão o vereador reeleito e novo presidente da Casa, Irmão Vetinho, e os ex-vereadores Valmir Costa, Preta de Barbosa, Professor Zeca e Raquel Paixão. A Legislatura 2017-2020 teve o seu trabalho reconhecido pelo futuro prefeito de Bequimão.

“Quero parabenizar os vereadores que por aqui passaram e estão no seu último ano de mandato, fazendo aquilo para o quê o vereador e a vereadora são eleitos, que é ser parceiro, mas também um fiscal da gestão municipal. Mas, principalmente, ser parceiro, observando as demandas e os anseios da população de Bequimão. Acredito que os vereadores desta Legislatura cumpriram o seu dever, a sua obrigação cívica, a sua responsabilidade como agentes públicos e políticos”, finalizou João Martins.