Igualdade

Bebê Prefeita, Yasmim Vitória, comemora primeiro ano de vida

Ela foi eleita em novembro do ano passado, durante a realização da VII Semana do Bebê Quilombola.

Um aniversário com direito a doces, salgados, bolo, decoração, alegria e, principalmente, muito amor, como são as tradicionais festas infantis. Familiares, amigos e representantes da Prefeitura de Bequimão e do Núcleo de Cidadania de Adolescentes (JUVA) celebraram, juntos, o primeiro ano de vida da Bebê Prefeita, Yasmim Vitória, na noite do último sábado (28), no Ramal do Quindiua, comunidade quilombola da zona rural de Bequimão.

Segundo o secretário de Cultura e Promoção da Igualdade Racial em Bequimão, Rodrigo Martins, a previsão é que seja eleito mais de um Bebê Prefeito, durante a VIII Semana do Bebê Quilombola, que acontecerá entre os dias 07 e 11 de dezembro.

Yasmim foi eleita simbolicamente em novembro do ano passado, durante a realização da VII Semana do Bebê Quilombola. Desde então, ela e toda a sua família recebem assistência integral do poder público local, com a entrega de kits de cuidado com o bebê, acompanhamento domiciliar feito pelos profissionais de saúde do município (consultas, atualização das cadernetas de vacinação e atendimento psicológico).

Também é garantida a inserção do Bebê Prefeito e de seus familiares em programas sociais, como Criança Feliz, Cadastro Único (CadÚnico), Programa Bolsa Família (PBF), Proteção Social Básica — oferecido pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Proteção Social Especial — oferecida pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).

Todos esses benefícios são assegurados de forma contínua pela Prefeitura de Bequimão, que compôs uma grande rede socioassistencial, da qual fazem parte as secretarias municipais de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Saúde e Assistência Social, além do apoio do Núcleo de Cidadania de Adolescentes do Selo Unicef. As ações são estendidas também às crianças de até seis anos e gestantes, que compõem as cerca de 1.500 familias residentes nas 11 comunidades da zona rural reconhecidas como remanescentes de quilombo pela Fundação Cultural Palmares.